10 Coisas Irritantes no Mercado de Boadgames

0
433

Você já teve algum tipo de aborrecimento com o hobbie de boardgames?

Não estou falando da irritação que todos temos quando alguém demora 10 minutos para fazer uma jogada. Estou falando da irritação com o mercado de boardgames mesmo.

Claro que em todos os nichos de mercado tem lá seus problemas. Mesmo no de jogos de tabuleiro modernos que é um nicho dentro de um nicho.

Após uma longa pesquisa em fóruns, comentários em publicações e algumas experiências chatas que passei,  cataloguei DEZ coisas irritantes para quem coleciona e joga jogos de tabuleiro:

1. Jogos lançados junto com parafernalha de expansões

O mais normal antigamente era um boardgame sair no mercado e só  depois de 1 ou 2 anos lançarem uma expansão para dar uma nova rejogabilidade ao jogo.

Mas hoje o que vemos é  editoras usarem a estratégia de lançar um jogo base incompleto, junto com varias expansões para que o jogo se complete. E as vezes pior, as vezes focam na publicidade das  expansões e o jogo base como algo secundário.

2. Jogos base lançados no Brasil que precisam de expansão.

O contrário também acontece se você resolver adquirir um jogo nacional. O problema é que se você compra um jogo em português consequentemente você quer mais pra frente adquirir uma expansão também em português.

Infelizmente vários títulos  permanecem esquecidos pelas editoras nacionais, ou porque não foram bons nas vendas, ou porque… não se sabe.

E o jogador sempre é o único prejudicado a exemplo de Imperial Settlers, Smallworld, Orleans, que suas inúmeras expansões não deram as caras por aqui.

 

3. Miniaturas que encarecem os jogos

Antigamente poucos jogos vinham com miniaturas, mas hoje qualquer jogo de controle de área ou até eurogames bem simples vem com um set de miniaturas.

É algo que encarece o jogo de maneira absurda, mas que claro, deixa a mesa mais bonita.

Mas existem pessoas que tem dificuldade em reconhecer no tabuleiro o que cada miniatura faz, eu sou uma delas. Imagine um tabuleiro com 50 miniaturas cinzas (a não ser que você pinte elas) espalhadas e com várias funções diferentes.

 

4. Sistemas de jogos colecionáveis

Muito comum em cardgames, é o tipo de jogo que você nunca terá uma experiência completa.

Porque se você não gastar dinheiro em mais cartas que são lançadas todos os meses, sua mão fica desequilibrada em relação ao oponente.

Quando você percebe tem milhares de cartas estocadas no armário.

Isso também serve para jogos com miniaturas estilo X-Wing, Krosmaster,  etc.

 

5. Jogos de tabuleiro que viraram aplicativos.

Para alguns jogar seus boardgames favoritos pelo computador com pessoas do mundo inteiro pode ser uma alternativa quando: não se tem alguém pra jogar, ou pra conhecer um jogo novo e treinar as regras.

Para outros tornar um hábito a partida online de jogos de tabuleiro é algo impensável e que vai contra a principal proposta do hobbie: socializar fisicamente com outros seres humanos.

Em tempos de depressão e isolamento, boardgame é um remédio social.

 

6. Jogos Legacy

Todos sabem que o hobbie de boardgame é caro. E a proposta de você jogar fora um jogo de 350,00 depois de uma seqüência de partidas é visto por várias pessoas como algo impensável.

Jogos Legacy trouxeram uma forma divertida de se jogar uma campanha. Mas jogar fora cartas, tokens, personagens é traumático para alguns.

Mas algumas pessoas tem amenizado esse problema criando tokens com os adesivos que inutilizam fichas e tabuleiro no sistema Legacy  (acesse aqui e veja como se faz).

Outra alternativa mais óbvia para amenizar a dor ($$$) é o grupo  fazer uma vaquinha para compartilhar os gastos com a compra do jogo.

7. Caixas com mais vácuo que componentes.

Algumas vezes você compra um jogo com uma caixa bem ilustrada, linda e grande o suficiente para caber 5kg de componentes.

Mas quando abre a caixa, vê os pequenos componentes espremidos num canto onde o insert de papelão ocupa 80% do espaço.

Então ele fica ocupando um espaço importante na sua estante, que poderia caber tudo dentro de uma caixinha estilo Tiny Epic.

8. Hype de mentira

Quem nunca esteve tentado a comprar um jogo pelo simples fato de ouvir a frase “financiado em 2 horas!”. É (ou era) um dos principais argumentos publicitários para bombar o hype de um jogo em financiamento coletivo.

São tantos gatilhos mentais que aumentam o hype do jogo que você começa a entrar em desespero: “Se não comprar logo, vou perder as parafernálias exclusivas”.

E lá se vai R$ 1.000,00 do seu bolso com taxas e impostos.

E o que não falta são relatos de expansões desnecessárias encalhadas na estante.

 

9. Sleeve em cartas

Sim acredite, tem gente que odeia sleeves (plástico protetor) em cartas pelo simples fato de não poderem sentir a  sensação agradável da textura delas em contato com as mãos.

É a mesma coisa quando você compra um tênis e o vender pergunta se você vai querer meias. Compra de boardgame atrelada a venda de pacotes de sleeves é o mais comum hoje.

Afinal quem quer arriscar  destruir suas cartas com a gordura dos dedos humanos?

Mais que um fetiche do hobbie, alguns também dizem que com o tempo o uso prolongado de um jogo com sleeves as cartas começam a feder. Não posso confirmar essa informação.

 

10. Mercado pobre de tintas para miniaturas

(Miniatura de warhammer pintada por Davi Rosa)

O mercado de jogos de tabuleiro moderno, como disse acima, é um nicho dentro do nicho. Existe também um outro hobbie dentro do nosso nicho, que é a pintura de miniaturas.

Infelizmente até hoje e com todo esse crescente aumento de anuncios de novos  jogos inclusive com miniaturas, não temos ainda uma empresa que tenha lançado ou importado tintas próprias para pintura de miniaturas.

Algum tempo a Games Workshop veio anunciando uma parceria para distribuir aqui seus produtos (primeiro anuncio foi em 2015), mas até agora não vimos seus jogos lançados aqui e nem suas tintas para pinturas de miniaturas.

Mas para aqueles que não querem importar tintas, as nacionais da Acrilex,  vem sendo usadas por muita gente, principalmente para quem está aprendendo e não quer gastar uma fortuna com tinta importada. 

E acredite, tem profissionais que só usam Acrilex e tem resultados incríveis.

Lembrando se você tem interesse em aprender a pintar miniaturas temos um curso que vai do básico ao avançado de Pintura de Miniaturas. E você pode aprender em casa. Clique aqui.

Então…

Alguns itens do tópico com certeza você vai ler e não vai concordar, mas fique a vontade para comentar abaixo enviando sugestões e outras coisas que te deixa puto no mercado de boardgames. Principalmente no mercado nacional. Quem sabe publicamos uma parte 2.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here